Publicado em 11/05/2020

Flutter SQLite

Flutter SQLite é a implementação de um dos bancos de dados locais mais famosos do mundo para o Flutter, utilizado através do pacote SQFlite.

Flutter SQLite

Todo este artigo é baseado no curso Flutter: App Android e iOS nativo, SQLite, Biometria, Câmera, GPS e Google Maps onde implementamos na prática o SQLite em um App nativo completo para Android e iOS, compartilhando o mesmo codebase.

Flutter SQLite e banco de dados local

O SQLite com certeza é um dos bancos locais mais populares do mercado, e isto significa que sua adoção e as chances de você precisar trabalhar com ele em algum projeto são grandes.

Além disso o uso do SQLite no Flutter é relativamente simples e nativamente ele já nos provê diversos recursos como proteção contra SQL Injection e até mesmo a dispensa na escrita de código SQL.

Vou deixar aqui também um vídeo onde falo um pouco mais sobre SQL Injection um assunto batido há muito tempo mas que ainda traz dor de cabeça em diversos cenários.

IMAGE ALT TEXT HERE

Além do Flutter SQLite havia também o Hive, que é um banco de dados local, NoSQL, escrito em Dart! Parece o casamento perfeito, porém existem alguns riscos que não gostaria de correr neste momento, além dele ser menos popular que o SQLite.

Dependências

Para trabalhar com Flutter SQLite precisamos utilizar o pacote sqflite, que nos irá prover tudo que precisamos a nível de banco de dados.

Como o SQLite é um banco de dados local, vamos precisar salvar ele no dispositivo, então precisamos de dois pacotes adicionais, o path e path_provider.

Desta forma, crie uma nova aplicação com Flutter e adicione os seguintes pacotes no pubspec.yaml.

path:
path_provider:
sqflite:

Script de criação do banco

O primeiro passo para começar com Flutter SQLite é criar o banco de dados, e neste momento não temos como fugir da escrita de código SQL.

Como o foco deste artigo não é a linguagem SQL, vou deixar o código que utilizei para criar o banco de dados no curso 7201.

CREATE TABLE contacts(id INTEGER PRIMARY KEY,name TEXT, email TEXT, phone TEXT,image TEXT, addressLine1 TEXT, addressLine2 TEXT, latLng TEXT)

Em adicional, eu armazeno sempre estes códigos SQL em constantes no código, evitando mudanças em tempo de execução e possíveis erros de digitação.

Para este caso em específico, eu criei uma constante chamada CREATE_CONTACTS_TABLE_SCRIPT com o conteúdo como String.

const String CREATE_CONTACTS_TABLE_SCRIPT = "CREATE TABLE contacts(id INTEGER PRIMARY KEY,name TEXT, email TEXT, phone TEXT,image TEXT, addressLine1 TEXT, addressLine2 TEXT, latLng TEXT)";

Como funciona?

No SQLite não ficamos conectados ao banco o tempo todo, ao invés disso, abrimos o banco (Nos conectamos), executamos nossas consultas e depois fechamos tudo.

Desta forma, sempre que formos executar algo no Flutter SQLite precisamos da função openDatabase para nos conectar (Abrir) o banco antes.

Para facilitar, minha sugestão é criar um método que retorna o banco de dados, se possível aplicando o Design Patter - Repository Pattern para abstrair este acesso à dados das interfaces.

Neste caso, vou criar um método privado, assíncrono chamado _getDatabase() que nos retorna o banco de dados criado.

Caso este banco não exista, vamos informar ao SQLite que o mesmo deve ser criado, utilizando o Script que definimos anteriormente.

Note que a criação ou abertura do banco é um processo que pode demorar, sendo assim ele é um Future.

Future<Database> _getDatabase() async {
  return openDatabase(
    join(await getDatabasesPath(), DATABASE_NAME),
    onCreate: (db, version) {
      return db.execute(CREATE_CONTACTS_TABLE_SCRIPT);
    },
    version: 1,
  );
}

O método getDatabasesPath recuperar o caminho padrão para o banco de dados e caso o mesmo não seja encontrado o método onCreate será disparado.

Dentro deste método onCreate temos a execução do nosso Script SQL que ficou armazenado em uma constante chamada CREATE_CONTACTS_TABLE_SCRIPT.

Em adicional, recomendo armazenar também o nome do banco e das tabelas em constante, como fiz com o DATABASE_NAME.

Operações básicas

Com o banco de dados aberto, podemos executar as operações básicas que chamamos de CRUD, a sigla para Create (Criar), Read (Ler), Update (Atualizar) e Delete (Excluir).

Preparando o modelo

Antes de prosseguir precisamos de um modelo de dados, e isto pode (deve) ser feito pelos nossos models na aplicação.

O sqflite sempre receberá e retornará um Map<String, dynamic> então é uma boa ideia deixar seu modelo já preparado para ser convertido de/para esta estrutura.

class ContactModel {
  int id = 0;
  String name = "";
  String email = "";
  String phone = "";
  String image = "assets/images/profile-picture.png";
  String addressLine1 = "";
  String addressLine2 = "";
  String latLng = "";

  ContactModel({
    this.id,
    this.name,
    this.email,
    this.phone,
    this.image,
    this.addressLine1,
    this.addressLine2,
    this.latLng,
  });

  Map<String, dynamic> toMap() {
    return {
      'id': id,
      'name': name,
      'phone': phone,
      'email': email,
      'image': image,
      'addressLine1': addressLine1,
      'addressLine2': addressLine2,
      'latLng': latLng,
    };
  }
}

Salvando um registro

No sqflite a inserção de um novo registro é dado pelo método db.insert onde precisamos informar a tabela e o item que desejamos incluir.

Lembre-se que este item que precisamos enviar tem que estar no formato Map<String, dynamic> então podemos converter nosso modelo para este utilizando o método toMap() criado anteriormente.

Para exemplificar este uso, criei um método chamado create onde recebemos um modelo e inserimos ele no banco de dados.

Future create(ContactModel model) async {
    try {
      final Database db = await _getDatabase();

      await db.insert(
        TABLE_NAME,
        model.toMap(),
      );
    } catch (ex) {
      print(ex);
      return;
    }
  }

Note que executamos tudo dentro de um Try/Catch pois podem haver erros de execução e/ou disco aqui. É bom sempre ficar prevenido.

A primeira coisa que precisamos fazer é recuperar nosso banco, e isto é feito utilizando o método criado previamente, utilizando await _getDatabase().

Em seguida temos a execução do db.insert persistindo o modelo. Note que novamente utilizamos uma constante chamada TABLE_NAME para definir o nome da tabela.

Lendo os registros

Para leitura podemos utilizar o método query enviando como parâmetro o nome da tabela que queremos buscar os resultados.

Este método retornará um List<Map<String, dynamic>> e embora você possa devolver esta mesma lista para sua interface, é comum retornarmos uma lista tipada ao invés de dinâmica, ou seja um List<ContactModel>.

Desta forma, temos o método getContacts() que faz a busca dos contatos, converte para uma lista tipada e retorna o resultado.

Future<List<ContactModel>> getContacts() async {
  try {
    final Database db = await _getDatabase();
    final List<Map<String, dynamic>> maps = await db.query(TABLE_NAME);

    return List.generate(
      maps.length,
      (i) {
        return ContactModel.fromMap(maps[i]);
      },
    );
  } catch (ex) {
    print(ex);
    return new List<ContactModel>();
  }
}

Note que utilizamos o List.generate para iterar pela lista tendo como resultado uma nova, do tipo List<ContactModel>.

Update e Delete

Neste momento você já deve ter pego a ideia. Basicamente abrimos o banco e pedimos para uma instrução ser executada, baseada em nosso modelo.

Para os métodos update e delete precisamos enviar um parâmetro adicional, que é o ID do contato, e isto pode ser feito através da propriedade where e whereArgs.

await db.update(
  TABLE_NAME,
  model.toMap(),
  where: "id = ?",
  whereArgs: [model.id],
);

Na propriedade where escrevemos nosso SQL, utilizando um ? onde desejamos que haja um parâmetro. Posteriormente o whereArgs lerá este SQL e substituirá as ? pelos parâmetros informados nele.

É importante lembrar que esta substituição ocorrerá na ordem, ou seja, a primeira ? será substituída pelo primeiro parâmetro, e assim por diante.

Nosso último método, o delete precisa chamar a função db.delete() assim como fizemos no update, inclusive informando o ID.

await db.delete(
  TABLE_NAME,
  where: "id = ?",
  whereArgs: [id],
);

Código Fonte

O código deste artigo se baseia no projeto que realizamos no curso Flutter: App Android e iOS nativo, SQLite, Biometria, Câmera, GPS e Google Maps e está disponível neste repositório do GitHub.

Conteúdo adicional

Se você se interessou por este conteúdo, talvez valha a pena dar uma olhada neste bate papo que fizemos sobre o Flutter, onde falamos de muitos pontos interessantes.

Bate Papo



Compartilhe este artigo


André Baltieri

7x Microsoft MVP

Olá eu sou o André Baltieri, desenvolvedor Web desde 2003, já trabalhei no Brasil e nos EUA, em projetos de diversos tamanhos.

Recebi por sete vezes consecutivas, o prêmio de Most Valuable Professional da Microsoft, um reconhecimento global dado para os maiores influentes em suas tecnologias.

Atuei também como Head of People, recrutando, selecionando e direcionando a carreira de mais de 70 desenvolvedores em uma das melhores empresas para se trabalhar do Brasil.

Sou palestrante em diversos eventos como ASP.NET Conference, DevXperience, TDC, GDG dentre outros e desde 2012 realizo treinamentos e consultorias em diversas empresas do Brasil, acumulando uma ótima experiência que também transformo em cursos InCompany e Online.



Cursos Relacionados



Carreiras Relacionadas